Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Taças - O que você realmente precisa

Foto: www.menuespecial.com.br





Existe no mercado uma grande variedade de tipos e formatos de taças para vinhos e espumantes, mas é realmente necessário termos cada uma delas pra tirarmos o melhor de um vinho?

 - A resposta é NÃO.






Mas o que você realmente precisa pra não fazer feio na hora de tomar um vinho?
A escolha de taças é algo muito pessoal, mas sugiro ter em casa pelo menos dois kits, um para vinhos e outro para espumantes.

A quantidade de taças para cada um desses kits deixo a sua escolha, eu tenho 6 taças em cada um dos kits e tem sido mais do que suficiente.

Com relação ao material, existem vários, que também deixo a escolha do leitor, mas sugiro dois tipos, o primeiro de cristal, esta dispensa apresentações, o segundo é um vidro que imita o cristal, chamado de Kwarx, que é cerca de 30% mais barato. Evite taças de materiais porosos, pois podem reter aromas de outros vinhos.


Taças para Vinhos

Foto: www.notasdedegustacao.blogspot.com.b

Ha diversos modelos, mas indico as modelo Cabernet Sauvignon. Essas taças são grandes, com cerca de 22 cm de altura e a boca tem cerca de 9 cm de diâmetro, sua capacidade é para mais ou menos 450 ml. Uma característica importante é a distância da base até o bojo da taça, pois ali deve ter espaço suficiente para segurar a taça.







Taças para Champagne (Flute)

Tem mais ou menos 22 cm de altura e a boca tem cerca de 6 cm de diâmetro, sua capacidade é de mais ou menos 200 ml.



A história da taça.

O vinho na antiguidade era armazenado em ânforas de barro, não havia outros tipos de recipientes adequados, a oxidação era uma constante, o vinho certamente tinha gosto à vinagre e muitas vezes era misturado a ervas e outros ingredientes, com a finalidade de diminuir o sabor amargo e desagradável.

A fragilidade de como a bebida era armazenada, se repetia no momento do consumo, é impressionante que nos dias atuais se encontre nas escavações arqueológicas copos ou cálices cuja matéria prima eram muito frágeis, como a cerâmica, a porcelana e o vidro.

Foto: www.diariodovinho.com / KYLIX
Dentre os achados arqueológicos o mais curioso é o kylix, que tem o formato de uma panela com asas parecidas com as das xícaras de chá, mas com duas asas, era muito prático o kylix, pois se passava o recipiente de um convidado ao outro rapidamente e sem o risco de cair, facilidade essa proporcionada pela asa dupla, em contrapartida era grande em demasia.

Com o passar do tempo o tamanho da taça (se é que podemos assim chamar) foi se diminuindo, porém a dupla asa se manteve. No período medieval o vinho era servido aos convidados de honra nessas taças de duas asas, para que todos pudessem beber do mesmo vinho e no mesmo copo, tal atitude era uma garantia de que a bebida não estava envenenada e também uma prova de companheirismo. Nos rituais religiosos todos também bebiam do mesmo vinho e na mesma taça, prova de fraternidade.

Também na época medieval algumas taças possuíam tampas (para proteger seu conteúdo), nas cerimônias religiosas a tampa era útil para proteger o vinho após esse ser abençoado pelo sacerdote, havia o risco de alguma sujeira ou outras substâncias indesejadas caírem no vinho, afinal os templos eram precários e havia presenças de muitas aves nas construções. Nesse período a taça já era feita de prata, muito embora os fiéis mais abastados financeiramente doassem ouro à igreja, ele não era utilizado para a fabricação dos cálices, devido a prata ser um metal mais macio.

Nessa época o vidro já havia sido descoberto há muito tempo, embora não utilizado largamente, seu emprego como copo foi utilizado mais freqüentemente a partir de 1500 d.c. e assim em diante foi se aperfeiçoando a industria vidreira.

Foto: www.aguadebar.blogspot.com
Conta uma velha lenda que a taça de vidro surgiu quando um antigo rei, admirado com o formato dos seios de sua amada, mandou fazer um copo com o formato deles, com a finalidade de tomar seu martini (não confundir com o Martini atual que é uma marca comercial, na verdade o martini é um vermouth que há milênios é consumido).

Atualmente existem diversos tipos de taças, inclusive coloridas, com desenhos em relevo no vidro, para atender aos mais variados gostos, todavia as mesmas não servem para quem quer apreciar com atenção a bebida.

Qual é a taça adequada para se degustar?
É uma das primeiras indagações feitas por aqueles que querem adentrar o mundo dos vinhos, tornarem-se enófilos.

Se estiver começando os estudos vinícolas, não se preocupe muito com as taças, com pouco mais de cinqüenta reais conseguirá formar seu kit de taças perfeitamente (se for um casal, cem reais aproximadamente). Você irá precisar basicamente de três tipos de taças: uma para vinho tinto, uma para branco e uma para espumante. Adiante, explicarei as diferenças de cada uma delas.


Foto: www.vinhoeoutrascoisas.com.br
A taça adequada para vinho tinto deverá ter a base grande, para que você possa segurá-la com firmeza, não é adequado segurar a taça pelo bojo, pois com essa atitude você ira aquecer muito a bebida (nosso corpo tem a temperatura média de 36 graus), e no caso dos vinhos tintos, sabemos que a temperatura ideal para o consumo é de 16 a 20 graus. O Bojo deverá ser grande e a borda da taça deverá ser menor que o bojo, essa característica é necessária para que caiba mais oxigênio na taça, ajudando assim o vinho a liberar seus aromas, sem dizer que o bojo grande auxilia o equilíbrio ao girar a taça, evitando que o líquido escape e suje alguma coisa. Concluímos então que segurando a taça pela base ou pela haste, não aqueceremos o vinho, desfrutando melhor as suas características. Para melhor aproveitar a degustação, coloque apenas 1/3 de vinho na taça, o espaço livre restante será importante para que você possa girá-la com tranqüilidade, sem correr o risco de sujar a toalha ou a camisa.



Taça Para Tinto:

Foto: www.diarioidovinho.com
A taça certa para o vinho branco é ligeiramente inferior em tamanho a do vinho tinto, o bojo também é menor, é que o vinho branco consegue liberar seus aromas com mais facilidade, não é necessária tanta oxigenação (bojo grande), nem ficar girando a taça com muita freqüência.É por essas e outras que sou apaixonado pelos vinhos brancos, eles mostram logo suas características, não se escondem, e minha dica para quem quer começar a estudar os vinhos, é começar pelos brancos, não se arrependerá!

No mais, a regra é a mesma para a taça do tinto, não segure pelo bojo (para não aquecer), a temperatura para os brancos vai de 8 a 14 graus dependendo da variedade.Preencha de vinho branco de 1/3 a ½ da taça pelo mesmo motivo do tinto, etc...



Taça Para Branco:

Foto: www.diariodovinho.com
A taça correta para o espumante é a flutê (flauta), ela tem o formato parecido com uma flauta, a haste é comprida e nesse caso não há bojo, pois não é necessária nenhuma oxigenação, o espumante possui gás carbônico, que liberará os aromas do espumante quase que imediatamente. Como não há bojo, não há o que se girar, apenas sentir os aromas e admirar as perlages (bolhas).A regra para segurar a taça do espumante é a mesma das demais já ditas, com uma ressalva, é muito mais elegante segurar pela haste...






Taça Para Espumante: 

Foto: www.diariodovinho.com
A temperatura para servir o espumante é de 2 a 6 graus dependendo da qualidade.

Todas as taças (para tinto, branco ou espumante) devem ser transparentes, sem nenhum desenho ou outra característica que impeça a visualização perfeita do vinho, deverá a taça ser feita de cristal ou vidro fino. A limpeza deverá ser feita apenas com água quente ou no máximo detergente neutro (para não transferir odores ao vinho).

Há pouco escrevi que era possível comprar um kit com pouco mais de cinqüenta reais, na verdade é você quem monta o conjunto (as taças são vendidas separadamente), eu recomendo a marca LUMINARC, a Luminarc tem diversas variedades de taças e custam em média vinte e oito reais, para tinto procure a LUMINARC BORGONHA (devido o bojo avantajado), para branco, a LUMINARC para vinho branco (não há outra variedade) e para espumante também a mesma marca, outra boa marca para taças é a VINERY. Se não encontrar as referidas marcas, compre outras, desde que respeite as características que descrevi na postagem, que sejam de vidro fino ou cristal, que não custem caro, e principalmente, acredite: elas foram feitas para se quebrar.



Agora vamos fazer um brinde!!


Fontes:
http://www.diariodovinho.com/
notasdedegustacao.blogspot.com.br
www.enoblogs.com.br

www.escrivinhos.com.br


2 comentários:

  1. Existe um terceiro material de taças que não interferem no sabor que é o ouro, como podemos ver em ritos religiosos católicos

    ResponderExcluir

Qual a sua opinião quanto a matéria?